segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Com que destreza o crocodilo

Com que destreza o crocodilo
Não espadana a cauda
E na água rápida do rio Nilo
Como ele não se esbalda...

Que graça e destreza é aquela
Como ele é sedutor
E engole os peixes pela goela
Com um sorriso encantador...

sábado, 25 de dezembro de 2010

Sonho num Sonho




Este beijo em tua fronte deponho!
Vou partir. E bem pode, quem parte,
francamente aqui vir confessar-te
que bastante razão tinhas, quando
comparaste meus dias a um sonho.
Se a esperança se vai, esvoaçando,
que me importa se é noite ou se é dia...
ente real ou visão fugidia?
De maneira qualquer fugiria.
O que vejo, o que sou e suponho
não é mais do que um sonho num sonho.

Fico em meio ao clamor, que se alteia
de uma praia, que a vaga tortura.
Minha mão grãos de areia segura
com bem força, que é de ouro essa areia.
São tão poucos! Mas, fogem-me, pelos
dedos, para a profunda água escura.
Os meus olhos se inundam de pranto.
Oh! meu Deus! E não posso retê-los,
se os aperto na mão, tanto e tanto?
Ah! meu Deus! E não posso salvar
um ao menos da fúria do mar?
O que vejo, o que sou e suponho
será apenas um sonho num sonho?


Edgar Allan Poe

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Volúpia

No divino impudor da mocidade,
Nesse êxtase pagão que vence a sorte,
Num frémito vibrante de ansiedade,
Dou-te o meu corpo prometido à morte!

A sombra entre a mentira e a verdade…
A núvem que arrastou o vento norte…
— Meu corpo! Trago nele um vinho forte:
Meus beijos de volúpia e de maldade!

Trago dálias vermelhas no regaço…
São os dedos do sol quando te abraço,
Cravados no teu peito como lanças!

E do meu corpo os leves arabescos
Vão-te envolvendo em círculos dantescos
Felinamente, em voluptuosas danças…



Florbela Espanca


quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

O lado negro dos signos - escorpião

Escorpião é o signo do sexo, mais para a sensualidade, é o signo do mistério, das emoções fortes e da vingança.Resumindo:

Uma novela mexicana com cenas de sexo!

Escorpião encara a gente e ficamos sem graça, porque tem um olhar profundo , intenso , mas se a pessoa for zarolha, vira motivo de piada.
O problema é que o escorpião é muito intenso , então tudo tem um sentido muito profundo:

'Quando tomo água, estou tentando aplacar a secura da minha solidão'.

'Quando estou dormindo e ronco, é porque é a única maneira de você me ouvir, porque você não me ouve, Efigênia.

'Quando faço cocô é uma maneira de negar sua comida, que é muito boa, mas eliminando-a pelas fezes, mostro e nego , o prazer que ela , sua comida, me causa.'

Entenderam?

E escorpião também não esquece nada.
No meio de uma transa magnifica, quando você está prestes a ter um orgasmo triplo, ele pára e se levanta e você , sem entender, pergunta:

-O que houve?
-Lembra-se que há dois anos atras , você bateu o telefone na minha cara? Pois bem , agora você me pagou.
E sai para tomar um gole de Fanta.

O escorpião também é obcecado pelo poder.
Quando ele chega em qualquer lugar , ele passa os olhos e como tem uma boa intuição ele sabe quem tem mais poder neste lugar e se aproxima da pessoa certa e pronto.

Faz o seu papel charmoso e em seguida, fecha bons negócios, bons contatos.
Mas o escorpião trabalha duro, é persistente e como tem grande controle emocional, vai longe.

E por falar em controle emocional, ele pode estar louco de amor , ardendo por dentro , mas ele olha para você e diz:
Você não lavou a louça, sua porca!

E como transa,afe.
Este signo descobre facilmente seu lado B, tipo aquilo que você tem vergonha, mas morre de medo de falar, ele descobre e faz, é gostoso, mas dá medo.
Sei de uma moça casada, que largou marido, carrão, e um bom emprego e foi para a Guiana Francesa atrás de um escorpiano louco que ela fez um sexo rápido em um banheiro de um lava -jato.

Escorpião faz sexo em qualquer lugar e quando quer sexo, vaga pelas noites.

E quando se apaixona, coragem!
Te vigia, te perturba, te persegue, te cerca.
Mas é bom, porque colega, o sexo...

Porém:

Não minta para ele, ele descobre!
Não tente engana-lo, porque ele percebe.
Não apronte, porque ele se vinga.

Fora isto, é um amor de pessoa!


Pessoas de escorpião famosas:
Reynado Gianecchini , Fabio Junior, Winona Ryder , Julia Roberts, Bill Gates , Rock Hudson, Leonardo DiCaprio, Pablo Picasso , Jodie Foster , Hillary Clinton , Demi Moore , Grace kelly, Anna Wintour (diretora da vogue América, que inspirou a megera fashion do filme: 'O Diabo veste Prada').


AUTOR NÃO ENCONTRADO

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Delírio de Cotard

Esta é uma desordem rara na qual a pessoa acredita estar morta, não existir, estar apodrecendo ou ter perdido todo o sangue e órgãos vitais. Raramente pode incluir delírios de imortalidade. Foi batizada assim devido a Jules Cotard, neurologista francês que primeiro descreveu a condição, chamando-a de le délirie de négation , em uma palestra em Paris, em 1880. Apesar de depressivo e certo de que está morto, o doente, contraditoriamente, também pode apresentar idéias megalomaníacas, como a crença na própria imortalidade.

sábado, 4 de dezembro de 2010

Será o mundo que vês é real ou imaginário?

"Será o mundo que vês é real ou imaginário? A luz que te rodeia seria observada e sentida da mesma forma se não estivesses aqui? As cores fariam algum sentido se alguém não as pudesse observar, catalogar e interpretar?
A forma como percebemos, interpretamos ou reagimos ao mundo externo é pura criação do cérebro, a mais maravilhosa e elaborada produção da vida na Terra. Luz nada mais é do que radiação electromagnética. Cores não existem fora de nossa mente. Nem os sons. O som é um produto da relação entre uma vibração externa e o cérebro. Se não existisse cérebro, não haveria som, nem cores, nem luz, nem escuridão”.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

O lado negro dos signos - câncer

Câncer é chorão.
Câncer se magoa com facilidade.
Câncer é manipulador.
Câncer sempre tem dinheiro escondido.

Câncer é um signo da água, regido pela lua e é um signo feminino. Ligado a familia ,a valores tradicionais e ao romantismo.
Resumindo: Uma caretice só.

Câncer fica magoado com qualquer bobagem e fica remoendo esta bobagem e um dia, do nada, no meio de uma feijoada com amigos solta o verbo:
-Aquele dia você não me ofereceu pastel.Você é egoísta,não pensa nos outros.
E você fica ali pasmado,tentando entender aquilo.

Câncer é o mestre em soltar aquela frase:
-Depois de tudo o que eu fiz por você...
E você ficará com o peso na consciência ,se sentindo um personagem do filme 'O Albergue'.
Mas é exatamente aí que reside a força do canceriano.
A força da manipulação.

Com este jeito de coitado, de calado de 'na dele', ele consegue empregos, amigos, amantes e vai acumulando conquistas.
Câncer adora acumular, guardar, colecionar.
Sempre tem um dinheiro guardado, um dinheiro que ningúem sabe que ele tem.
E Câncer é pão duro.

Mas também é muito dedicado a familia.
È sempre aquele filho que vai á feira com a mãe, é sempre a menina que limpa a casa ,é sempre o enteado que vai ao Bradesco para a madrasta.
È aquele signo que te deixa dormindo sozinha no motel porque 'não posso dormir fora de casa.'

Câncer adora namorar e é bom que o faça, porque câncer sem namoro firme é farra na certa.
O lado B do canceriano é quase um 'lado c', colega.
Adoram bordéis, saunas e estes lugares modernos tipo...frequentados por casais.

Mas namorando são romanticos, protetores e sensíveis.

E cuidado com o olhar de peixe morto deles, seduz todo mundo.

Adoram ficar em casa e se possivel ,teriam a balada delivery, de tanto que gostam de ficar em casa de moleton,arrastando os chinelos.
È também aquela pessoa insuportável que demora meia hora no banho e quando sai...dá lhe vapor.

A mulherada canceriana é delicada, feminina e tem aquele ar maternal.
Sempre comanda a família,e consegue 'arrancar dinheiro do marido,e com as futricas certas, sobem rápido na empresa.
Aliás trabalham muito e bem e são astutas.
Cancerianas sempre sobem de cargo.
E são meninas para namorar.
E se fossem prostitutas, seria por pouco tempo. Nasceram é para a cafetinagem.

Homens famosos de câncer:
Tom Cruise ,Tom Hanks, Harrison Ford, George Michael ,e o seu contador.
Mulheres famosas de cãncer :
Giselel Bundchen,Liv tyler ,Pamela Anderson, Meryl Streep,Courtney Love , Cindy Lauper,Missy Elliot e sua tia solteirona.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Não sinto nada mais ou menos

Não sinto nada mais ou menos, ou eu gosto ou não gosto. Não sei sentir em doses homeopáticas. Preciso e gosto de intensidade, mesmo que ela seja ilusória e se não for assim, prefiro que não seja. Não me apetece viver histórias medíocres, paixões não correspondidas e pessoas água com açúcar.
Não sei brincar e ser café com leite. Só quero na minha vida gente que transpire adrenalina de alguma forma, que tenha coragem suficiente pra me dizer o que sente antes, durante e depois ou que invente boas estórias caso não possa vivê-las.
Porque eu acho sempre muitas coisas – porque tenho uma mente fértil e delirante – e porque posso achar errado – e ter que me desculpar – e detesto pedir desculpas embora o faça sem dificuldade se me provarem que eu estraguei tudo achando o que não devia.
Quero grandes histórias e estórias; quero o amor e o ódio; quero o mais, o demais ou o nada. Não me importa o que é de verdade ou o que é mentira, mas tem que me convencer, extrair o máximo do meu prazer e me fazer crêr que é para sempre quando eu digo convicto que nada é para sempre.

Gabriel García Marquez

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Intimidade




No coração da mina mais secreta,
No interior do fruto mais distante,
Na vibração da nota mais discreta,
No búzio mais convolto e ressoante,

Na camada mais densa da pintura,
Na veia que no corpo mais nos sonde,
Na palavra que diga mais brandura,
Na raiz que mais desce, mais esconde,

No silêncio mais fundo desta pausa,
Em que a vida se fez perenidade,
Procuro a tua mão, decifro a causa
De querer e não crer, final, intimidade.

José Saramago

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Versos Íntimos



Vês! Ninguém assistiu ao formidável
Enterro de tua última quimera.
Somente a Ingratidão - esta pantera -
Foi tua companheira inseparável!

Acostuma-te à lama que te espera!
O Homem, que, nesta terra miserável,
Mora, entre feras, sente inevitável
Necessidade de também ser fera.

Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
A mão que afaga é a mesma que apedreja.

Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
Apedreja essa mão vil que te afaga,
Escarra nessa boca que te beija!


Augusto dos Anjos

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

O lado negro dos signos - Peixes

Existem dois tipo de peixes:
Aqueles que nadam para cima e aqueles que nadam para baixo.
E se você for um pisciano, reze para nadar para cima, porque com certeza, sua vida será beeeem mais fácil e animada...

Peixes é um signo místico, é o signo do desapego, da espiritualidade , dizem até que quem é de peixes, será a última vez que vem ao mundo, porque é a ultima encarnação:
Traduzindo: Este é o signo da' viagem', colega.

Eles tem um mundo interno , cheio de fantasias em todos os planos e quando a coisa não tá boa(quase sempre), eles nadam para lá, e não há quem os tire.

Se o pisciano souber canalizar sua incrível intuição e sua sensibilidade, ele consegue captar o que está em volta e com isto, sentir o ambiente, se adaptar e crescer e fazer a diferença.

Porque quando um pisciano resolve ser brilhante, colega, detona até o mais animado leonino.
Mas o problema é quando resolve...e se resolve...

Como é um signo que se sacrifica numa boa pelos outros, as vezes o pisciano esquece- se dele mesmo e lá se vai a vida prórpria.

È o signo do povo da noite, do lado b, daquilo que destrói.
Peixes deve evitar ao máximo o alcool, as drogas e a prostituição ou seja, tudo que traz o alívio momentâneo para as dores do dia a dia.

Muitos artistas plásticos são piscianos.
Muitas pessoas que trabalham com música são piscianos.
Trabalhos mais 'para dnetro' são perfeitos para eles.

Os homens deste signo, tem uma certa fragilidade que a mulherada com síndrome de mãe não resiste, leva para casa e quando vê, tá sustentando um marmanjo de 40 anos, que tenta debilmente ser um novo escultor.
È colega,cuidado...se um piscinao te pega em uma época carente, lascou -se .Você fará tudo pro ele.

E como chora este signo,afe...chora e se sacrifica pela família e adota crianças e faz o trabalho dos outros e toma na cabeça mas não aprende.

Não sabe dizer não.
Não sabe dizer não.
Não sabe dizer não.
Não sabe dizer não.

E só para reforçar...

Não sabe dizer não.

E dando um toque ,o piscinao, tem que ter um caderno em casa e ele deveria escrever 100 vezes ao dia:
Devo aprender a dizer não...
rsrsrsrssrsrrssr.

A criatividade deles é incrível, então criam heróis, situações loucas ,nuvens laranjas, sóis azuis e lagos cor de ouro...
È bem lisèrgico.

A mulherada deste signo, de uma feminilidade extrema, consegue seduzir com o doce olhar e tem um aspecto de donzelas...

Arianos e leoninos, que adoram uma gueixa-donzela-princesa, são os primeiros a serem fisgados por estas moças de olhar sereno e quadril sem vergonha.

Porque a pisciana, colega, adora um 'vucocvuco'.
São amantes perfeitas.
Com aquele olhar de songa monga, elas vão longe...
Até para a Europa, bein.

E reclamam da vida,viu?
Porque adoram se sentir vítimas da situação, da vida, do contador, de você do filho que ainda não nasceu.
Adoram sofrer...
E amam misticismo:
Astrologia, mãe de santo, tarô, borra do café, do capuccino, amam budismo, cartas,enfim, amam uma macumbinha colega.
Ou também são rezadeiros ao extremos.
São chegados em velas.
Pecado e religião.
Culpa e castigo
Carne e alma.
Pão e vinho.
Ah, eu não tenho paciência.
Piscianos... cuidem do psicológico e da cabeça...
São propensos á depressão.

Pessoas famosas de peixes:
Elis Regina, Amanda(Pânico da rádio), Kurt Cobain, Rob Lowe, George Harrison, Lou Reed, Jerry Lews, Spike Lee, Nureyev, Victor Hugo, Bernardo Bertolucci, John Bon Jovi, Elisabeth Taylor, Drew Barrymore, Lisa Minelli, Cindy Crawford, Nina Simone, Anais Nin, Sharon Stone.


quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Meditação dinâmica e o corpo

Se você sentir dor, fique atento a ela, não faça nada. A atenção é o melhor remédio - cura tudo. Simplesmente preste atenção à dor.

Por exemplo: você está sentado em silêncio na última parte da meditação, imóvel, e começa a
sentir muitos problemas no corpo, Sente que a perna está dormindo, a mão está coçando, as formigas estão subindo pelo corpo. Você já olhou várias vezes e não há formigas. O formigamento é interno, não externo.

O que você deve fazer? Se a perna está dormindo, observe, ponha toda sua atenção nisso. Se está sentindo coceira, não coce. Isto não ajudará. Apenas preste atenção. Nem mesmo abra os olhos. Preste atenção nisso interiormente,
espere e observe. Dentro de alguns segundos, a coceira desaparecerá.

Observe qualquer coisa que aconteça - mesmo que você sinta dor, uma dor forte no estômago ou na cabeça. Isto pode acontecer porque, na meditação,
o corpo inteiro muda; sua química muda. Coisas novas começam a acontecer e o corpo está num caos.

Algumas vezes, o estômago será afetado, porque você reprimiu muitas emoções no estômago e agora elas foram remexidas. Às vezes, sentirá náuseas, vontade de vomitar. Outras vezes, sentirá uma forte dor de cabeça, porque a meditação muda a estrutura interna do cérebro. Nessa fase da meditação,
você estará realmente num caos. Logo as coisas se acalmarão. Mas, nesse momento, tudo ficará em tumulto.

Então, o que fazer? Simplesmente veja a dor na cabeça, observe-a. Seja um observador e
esqueça-se de que é um agente. Pouco a pouco, tudo se acalmará, e de uma maneira tão bela e graciosa, que você não poderá acreditar antes de conhecê-la.

Não apenas a dor de cabeça desaparecerá - pois a energia que estava criando a dor, ao ser observada, desaparece - mas
essa mesma energia tornar-se-á prazer. A energia é a mesma.

Dor ou prazer são
duas dimensões da mesma energia. Se você puder permanecer sentado em silêncio, prestando atenção nas perturbações, todas elas desaparecerão. E, quando desaparecerem, você perceberá de repente que o corpo inteiro desapareceu.



Osho

sábado, 23 de outubro de 2010




Não fui, na infância, como os outros

e nunca vi como outros viam.

Minhas paixões eu não podia

tirar de fonte igual à deles;

e era outra a origem da tristeza,

e era outro o canto, que acordava

o coração para a alegria.

Tudo o que amei, amei sozinho.

Assim, na minha infância, na alba

da tormentosa vida, ergueu-se,

no bem, no mal, de cada abismo,

a encadear-me, o meu mistério.

Veio dos rios, veio da fonte,

da rubra escarpa da montanha,

do sol, que todo me envolvia

em outonais clarões dourados;

e dos relâmpagos vermelhos

que o céu inteiro incendiavam;

e do trovão, da tempestade,

daquela nuvem que se alterava,

só, no amplo azul do céu puríssimo,

como um demônio, ante meus olhos.


♥ Edgar Allan Poe ♥

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Teresa

A primeira vez que vi Teresa
Achei que ela tinha pernas estúpidas
Achei também que a cara parecia uma perna

Quando vi Teresa de novo
Achei que os olhos eram muito mais velhos que o resto do corpo
(Os olhos nasceram e ficaram dez anos esperando que o resto do corpo nascesse)

Da terceira vez não vi mais nada
Os céus se misturaram com a terra
E o espírito de Deus voltou a se mover sobre a face das águas.

Manuel Bandeira

domingo, 17 de outubro de 2010

O sábio

Aquele que conhece os outros é sábio.
Aquele que conhece a si mesmo é iluminado.
Aquele que vence os outros é forte.
Aquele que vence a si mesmo é poderoso.
Aquele que conhece a alegria é rico.
Aquele que conserva o seu caminho tem vontade.

Seja humilde, e permanecerás íntegro.
Curva-te, e permanecerás ereto.
Esvazia-te, e permanecerás repleto.
Gasta-te, e permanecerás novo.

O sábio não se exibe, e por isso brilha.
Ele não se faz notar, e por isso é notado.
Ele não se elogia, e por isso tem mérito.
E, porque não está competindo, ninguém no mundo
pode competir com ele.


Lao Tsé - Tao Te Ching

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Lua Adversa




Tenho fases, como a lua

Fases de andar escondida,
fases de vir para a rua...
Perdição da minha vida!
Perdição da vida minha!
Tenho fases de ser tua,
tenho outras de ser sozinha.

Fases que vão e vêm,
no secreto calendário
que um astrólogo arbitrário
inventou para meu uso.

E roda a melancolia
seu interminável fuso!
Não me encontro com ninguém
(tenho fases como a lua...)
No dia de alguém ser meu
não é dia de eu ser sua...
E, quando chega esse dia,
o outro desapareceu...

Cecília Meireles

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Martírio

Beijar-te a fronte linda:
Beijar-te o aspecto altivo:
Beijar-te a tez morena:
Beijar-te o rir lascivo:

Beijar-te o ar que aspiras:
Beijar-te o pó que pisas:
Beijar-te a voz que soltas:
Beijar-te a luz que visas:

Sentir teus modos frios:
Sentir tua apatia:
Sentir até repúdio:
Sentir essa ironia:

Sentir que me resguardas:
Sentir que me arreceias:
Sentir que me repugnas:
Sentir que até me odeias:

Eis a descrença e a crença,
Eis o abismo e a flor,
Eis o amor e o ódio,
Eis o prazer e a dor!

Eis o estertor da morte,
Eis o martírio eterno,
Eis o ranger de dentes,
Eis o penar do inferno!



Junqueira Freire

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

O Oceano do Outro





Há milhões de ondas no mar. Você nunca vê o mar, apenas as ondas, porque são elas que estão na superfície. Esqueça as ondas: elas não existem de fato, somente o oceano. Sempre que você tiver tempo, olhe nos olhos do amigo, do seu amor ou de qualquer outra pessoa. Não pense, apenas olhe cada vez mais fundo dentro dos olhos do outro. Logo perceberá que as ondas se cruzaram e um oceano se abriu para você. Os olhos são portas. Se você olhar profundamente, as ondas desaparecerão e o oceano se revelará. Experimente fazer isso com uma pessoa, depois tente com um animal e só então com as árvores e as rochas. Se perceber alguma coisa diferente, saiba que você está na superfície. As diferenças estão na superfície, pois a pluralidade pertence à superfície. Olhe profundamente e não se deixe iludir pela superfície. Há um oceano ao seu redor. Você e seu ego não passam de uma onda. Atrás do ego está oculto o desconhecido.


Osho

domingo, 19 de setembro de 2010

Amar!

Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: aqui... além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente...
Amar! Amar! E não amar ninguém!

Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...


Florbela Espanca

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Inconstância



Procurei o amor, que me mentiu.
Pedi à Vida mais do que ela dava;
Eterna sonhadora edificava
Meu castelo de luz que me caiu!

Tanto clarão nas trevas refulgiu,
E tanto beijo a boca me queimava!
E era o sol que os longes deslumbrava
Igual a tanto sol que me fugiu!

Passei a vida a amar e a esquecer...
Atrás do sol dum dia outro a aquecer
As brumas dos atalhos por onde ando...

E este amor que assim me vai fugindo
É igual a outro amor que vai surgindo,
Que há-de partir também... nem eu sei quando...



Florbela Espanca


terça-feira, 7 de setembro de 2010

As Portas da Percepção




"Quando nos sentimos como se fôssemos os únicos herdeiros do universo, quando 'o mar corre em nossa veias [...] e as estrelas são nossas jóias', quando todas as coisas parecem infinitas e sagradas, que motivos poderemos ter para a cobiça ou a soberba, para a fome de poder ou para as formas mais doentias de prazer?"

"As Portas da Percepção (no original em inglês, The Doors of Perception) é um livro de 1954, escrito por Aldous Huxley, onde o autor pormenoriza as suas experiências alucinatórias quando tomou mescalina. O título provém de uma citação de William Blake:

"If the doors of perception were cleansed everything would appear to man as it is, infinite."
"Se as portas da percepção estivessem limpas, tudo apareceria para o homem tal como é: infinito."

Baseado nesta citação, Huxley assume que o cérebro humano filtra a realidade de modo a não permitir a passagem de todas as impressões e imagens que existem efectivamente. Se isso acontecesse, o processamento de tal quantidade de informação seria simplesmente insuportável. De acordo com esta visão das coisas, algumas drogas poderiam reduzir esse processo de filtragem, ou "abrir as portas da percepção", como é dito metaforicamente. Com o intuito de verificar esta teoria, Huxley começou a tomar mescalina e a descrever os seus pensamentos e sentimentos sob o efeito da droga. A sua principal impressão será a de que os objetos do nosso cotidiano perdem a sua funcionalidade, passando a existir "por si mesmos". O espaço e as dimensões tornam-se irrelevantes, parecendo que a percepção se alarga de uma forma espantosa e mesmo humilhante já que o ser humano se apercebe da sua incapacidade para fazer face a tantas impressões.

Além de drogas como a mescalina, o LSD, o DMT (substância), a psilocibina, etc, outras formas citadas para se abrir as portas da percepção seriam:

Huxley explica que uma das razões porque as portas da percepção normalmente ficam semi-cerradas seria para a própria proteção do indivíduo, que de outra forma se distrairia com a enxurrada de estímulos desnecessários para a sobrevivência.

Esse livro foi a fonte de inspiração para o nome da banda The Doors, que apresenta uma obra com características semelhantes ao do livro, quebra de paradigmas, oposição a normas e costumes vigentes e uso de drogas."



terça-feira, 31 de agosto de 2010

Cosmoconsciência

Condição de expansão máxima de lucidez e percepção, vivida pela consciência que, nesse estado, se sente una com o Universo e se torna capaz de, no período da experiência, alcançar uma existência inteira de entendimento, revelação, iluminação e autotranscendência. É uma experiência de difícil tradução em palavras e muitas vezes quem a vivencia não consegue trazer para o cérebro físico tudo aquilo que percebeu e vivenciou. Também conhecida por consciência cósmica, mente cósmica, nirvana, samádi, satori, Tao absoluto.

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Embriague-se






É preciso estar sempre embriagado. Aí está: Eis a única questão
Para não sentirem o fardo horrível do Tempo que verga e inclina para a terra, é preciso que se embriaguem sem descanso. Com quê? Com vinho, poesia ou virtude, a escolher. Mas embriaguem-se. E se, porventura, nos degraus de um palácio, sobre a relva verde de um fosso, na solidão morna do quarto, a embriaguez diminuir ou desaparecer quando você acordar, pergunte ao vento, à vaga, à estrela, ao pássaro, ao relógio, a tudo que flui, a tudo que geme, a tudo que gira, a tudo que canta, a tudo que fala, pergunte que horas são; E o vento, a vaga, a estrela, o pássaro, o relógio responderão: "É hora de embriagar-se! Para não serem os escravos martirizados do Tempo, embriaguem-se; embriaguem-se sem descanso". Com vinho, poesia ou virtude, a escolher.


Charles Baudelaire

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Ciganos em Viagem

A tribo que prevê a sina dos viventes
Levantou arraiais hoje de madrugada;
Nos carros, as mulher', c'o a torva filharada
Às costas ou sugando os mamilos pendentes;

Ao lado dos carrões, na pedregosa estrada,
Vão os homens a pé, com armas reluzentes,
Erguendo para o céu uns olhos indolentes
Onde já fulgurou muita ilusão amada.

Na buraca onde está encurralado, o grilo,
Quando os sente passar, redobra o meigo trilo;
Cibela, com amor, traja um verde mais puro,

Faz da rocha um caudal, e um vergel do deserto,
Para assim receber esses p'ra quem 'stá aberto
O império familiar das trevas do futuro!

Charles Baudelaire

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

LINHAS SOBRE A CERVEJA

Cheio de espuma e âmbar misturados
Esvaziarei este copo novamente
Visões as mais hilariantes embarafustam
Pela alcova de meu cérebro
Pensamentos os mais curiosos fantasias as mais extravagantes
Ganham vida e se dissipam;
O que me importa o passar das horas?
Hoje estou tomando cerveja.


Edgar Allan Poe

Razão de Ser

Escrevo.

E pronto.

Escrevo porque preciso,

Preciso porque estou tonto.

Ninguém tem nada com isso.

Escrevo porque amanhece,

E as estrelas lá no céu

Lembram letras no papel,

Quando o poema me anoitece.

A aranha tece teias.

O peixe beija e morde o que vê.

Eu escrevo apenas.

Tem que ter por quê?


Paulo Leminski

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Sociedade Epicuréia (ou a Casa de Satã)



Em Macário, livro de Álvares de Azevedo, Satã, ao chegar a São Paulo, diz o seguinte:

"- Tenho uma casa aqui na entrada da cidade. Entrando, à direita, defronte do cemitério."

Essa casa existiu.

Em seu livro E assim nasceu a Escrava Isaura, José Armelim, neto de B.G., informa que a casa era conhecida por Chácara dos Ingleses, porque seu primeiro morador foi o inglês John Rademacker.

Ela ficava na Rua da Glória (hoje Praça Almeida Júnior), defronte a um cemitério de indigentes e de escravos.

Foi nessa casa em que moraram os estudantes Alvares Azevedo, autor de Se eu morrese amanhã, Bernardo Guimarães e Aureliano Lessa, entre outros.

A casa tornou-se famosa porque nela, em 1849, os estudantes da São Francisco fundaram a Sociedade Epicuréia. Na casa, uma turma de rapazes "pintou o diabo e celebrou maluquices, alarmando a pacata cidadezinha de São Paulo", registra o escritor Raimundo de Menezes na edição de 14.06.1946 do Estado de S. Paulo.

Bernardo de Guimarães era um dos principais animadores da Casa de Satã.

A Sociedade Epicuréia inspirava-se no romantismo do excêntrico poeta George Gordon Byron (1788-1824). Lord Byron, como era conhecido, cultivava a beleza do horror, do repulsivo, do monstruoso, do satânico. Cultivava a energia rebelde, numa contraposição à estética clássica, à passividade, à inércia.

Byron teve grande influência em toda a Europa e repercurtiu-se também nos rapazes da Faculdade São Francisco, principalmente em Álvares de Azevedo.

As sessões da Sociedade Epicuréia - realizadas na Chácaras dos Ingleses e em outras repúblicas da periferia - abalaram a pacata São Paulo.

Couto de Magalhães conta que "Bernardo, Azevedo e [Aureliano] Lessa dispunham de tudo para o cerimonial da orgia. Tapetes, indumentária, caveiras, ossos humanos, trípodes, caçoilas, armações funerárias etc. Na Epicuréia dominavam reflexos de satanismo".

As mulheres não participam das sessões. "Mulheres só eram permitidas nas libertinagens sem cerimonial", explica Magalhães.

Bernardo Guimarães exagerava no álcool, principalmente o éter. "Ficou semanas inteiras sepulto, com os comparsas, nos comodos, bebendo sem parar. Registraram-se cenas indecorosas, impossíveis de serem narradas. E houve desregramentos piores, de horrorizar. As sessões terminavam quando não havia mais bebidas", relata Magalhães.

O cerimonial obedecia algumas orientações byronianas.

Na casa eram soltos gatos pretos, sapos, corujas, morcegos, urubus, cobras, lagartixas e tudo quanto é bicho do folchore do horror.

Entre uma declamação e outra de poemas, o vinho era servido em caveiras roubadas do cemitério de indigentes. Havia brindes a Baco, a Epicuro e a Sileno.

Do lado de fora, sem entender nada e com medo, ficavam os escravos dos estudantes.

Em algumas sessões, havia encenações d'A Divina Comédia. Em outras, enquanto alguns estudantes corriam pela casa imitando animais, Bernardo cantava canções macabras e Álvares de Azevedo lia contos de horror.

Os excessos alcóolicos dessas farras prejudicaram a saúde de muitos estudantes, levando-os à morte precoce. Esse não foi o caso de B.G., que morreu aos 69 anos.

O crítico literário Antônio Cândido, no Estado de S. Paulo de 25.01.1954, assim sintetizou a Sociedade Epicuréia: "Ponto de encontro entre a literatura e a vida, onde os jovens procuravam dar realidade às imaginações românticas".

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Não há maior ego...

Não há maior ego do que o daquele que se julga acima dos outros por ter domado o ego.
Ao dominar o ego, ao buscar a transcendência e negar o mundo, ele comete o maior EGO de todos:
Achar que não tem ego, e que está além do mundo em que vive.


Osho

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Projeção Astral




"Os benefícios da exploração fora do corpo estendem-se para além dos limites dos nossos sentidos físicos e do nosso intelecto. Após uma experiência fora do corpo, muitas pessoas afirmam que ocorreu um despertar interior acerca da identidade espiritual, uma transformação do conceito de si mesmas. Elas vêem-se a si mesmas como algo mais do que matéria - mais conscientes e vivas."

Elas exprimem um profundo conhecimento interior baseado na sua particular experiência espiritual. Muitas dizem estar conectadas com algo maior que elas mesmas, conectadas com a própria fonte da vida. Relatam o efeito de um sentimento poderoso que rompe a densa barreira da ignorância, do medo e da limitação.[...]
Quando me perguntam: "Porquê exploração fora do corpo?" A minha resposta é simples: eu preciso saber as respostas por mim mesmo. Eu encontro pouco consolo em crenças, especialmente quando elas são as mais abundantes mercadorias dos dias de hoje. Cada sociedade, cada cultura está transbordando com sua versão da verdade - uma colecção humana de convicções sem comprovações.
Essas crenças se alteram com o passar do tempo, evoluindo e decaindo, enquanto que a verdade de nossa existência permanece a mesma, oculta, sob uma crescente montanha de doutrinas, dogmas, hipóteses e conclusões.

Eu acredito que o propósito desta vida é a experiência. Nós precisamos experimentar e explorar por nós mesmos. Nós precisamos descobrir e conhecer ou ser escravos das opiniões dos outros. É chegado o tempo para que reconheçamos o nosso verdadeiro potencial e explorar além das crenças e convicções. É chegado o momento de descobrir a verdade por nós mesmos.
"

Universo de Luz

terça-feira, 15 de junho de 2010

Novas Realidades

O que pode transformar uma pessoa é o conhecimento de novas realidades e a conseqüente substituição de uma “idéia” por outra, venha ela embasada cientificamente ou por “iluminação espiritual”, não importa. O que importa é que ela venha. Os benefícios acontecerão por conseqüência.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

A Essência da Liberdade





A criatividade é a maior forma de rebeldia da existência. Se deseja criar, você tem que se livrar de todos os condicionamentos; do contrário, sua criatividade não passará de mera imitação, será uma simples cópia de algo.

Você consegue ser criativo somente como indivíduo, você não pode ser criativo como parte da psicologia das massas.
A mentalidade coletiva não tem criatividade; seus membros levam uma vida enfadonha; eles não conhecem realmente a dança, a melodia, a alegria; são seres mecânicos.

A pessoa que pretenda ser criativa não pode seguir o mesmo caminho dos outros, uma senda excessivamente trilhada e batida. Ela tem que descobrir seu próprio caminho,
tem que pesquisar nas selvas da vida. Ela tem que caminhar só; tem que ser um não-conformista com os valores da psicologia das massas, da mentalidade coletiva.

Osho

sexta-feira, 11 de junho de 2010

As Três Peneiras

Um homem foi ao encontro de Sócrates levando ao filósofo uma informação que julgava de seu interesse:

— Quero contar-te uma coisa a respeito de um amigo teu!


— Espera — disse o sábio. Antes de contar-me, quero saber se fizeste passar essa informação pelas três peneiras.


— Três peneiras? Que queres dizer?


— Devemos sempre usar as três peneiras. Se não as conheces, presta bem atenção. A primeira é a peneira da VERDADE. Tens certeza de que isso que queres dizer-me é verdade?


— Bem, foi o que ouvi outros contarem. Não sei exatamente se é verdade.


— A segunda peneira é a da BONDADE. Com certeza, deves ter passado a informação pela peneira da bondade. Ou não?


Envergonhado, o homem respondeu:


— Devo confessar que não.


— A terceira peneira é a da UTILIDADE. Pensaste bem se é útil o que vieste falar a respeito do meu amigo?


— Útil? Na verdade, não.


— Então, disse-lhe o sábio, se o que queres contar-me não é verdadeiro, nem bom, nem útil, então é melhor que o guardes apenas para ti.


Sócrates

A diferença entre o coletivo e o individual

"[...]Acho de muita importância descubramos cada um de nós, onde termina o coletivo e começa o individual. Ou o nosso pensar — conquanto modificado pelo temperamento pessoal, pelas idiossincrasias de cada um — será totalmente coletivo? O “coletivo” é o conglomerado de condicionamentos vários, nascidos das ações e reações sociais, das influências educativas, das crenças, dogmas e preceitos religiosos, etc. Todo esse processo heterogêneo constitui o coletivo, e se examinardes, se olhardes a vós mesmos, vereis que tudo o que pensais, vossas crenças ou descrenças, vossos ideais ou oposição aos ideais, vossos esforços, vossa inveja, vossos impulsos, vosso senso de responsabilidade social — vereis que tudo isso é resultado do coletivo. Se sois pacifista, vosso pacifismo é o resultado de um certo condicionamento.[...]

Expressando-o diferentemente: Iniciamos as nossas vidas com suposições, postulados; que há ou que não há Deus, que há inferno e céu, que é necessário um certo padrão de relações, uma determinada moral, que deve prevalecer uma determinada ideologia, etc. Com estas suposições, que são produto do coletivo, criamos uma estrutura que chamamos educação, que chamamos religião, e fundamos uma sociedade em que o individualismo brutal prevalece sem freios, ou é mantido sob controle. Esta sociedade está baseada na suposição de que é necessária e inevitável a competição, de que é necessária a inveja, a ambição. Mas, é possível não construirmos sobre suposições de qualquer natureza, mas construirmos ao mesmo tempo em que estamos investigando e descobrindo? Se aceitamos o descobrimento feito por outro, nesse caso entramos imediatamente no terreno do coletivo, que é o terreno da autoridade; mas se cada um de nós começar livre de suposições e postulados, então vós e eu edificaremos uma sociedade toda diferente, e esta me parece uma das questões mais importantes da época atual.[...]


Isto é, é possível ficarmos libertados do tempo, do tempo como memória, memória esta que é produto de determinada cultura, civilização ou condicionamento? Pode a mente ficar livre dessa memória? Não me estou referindo à memória da técnica de construir uma ponte, da estrutura do átomo, do caminho de casa; esta é a memória “fatual”, e sem ela estaríamos dementes ou doentes de amnésia. Mas pode a mente existir livre da memória psicológica? Pode, sem dúvida, mas só quando não está a buscar segurança. Afinal de contas, como disse ontem, enquanto a mente busca a segurança, seja numa conta bancária, seja numa religião ou em vários gêneros de atividades sociais e de relações, tem de haver violência, homem que possui muito cria a violência; mas o homem que percebe a futilidade de ter muito e se torna eremita, esse também cria violência, porque está buscando a segurança, não no mundo, mas em idéias.[...]


É possível a mente ficar livre da memória do coletivo? Quer dizer, ficar livre da inveja, da competição, da ambição, da dependência, da perene busca do permanente como meio de segurança. Pois só quando há esta liberdade, pode existir o indivíduo. E nela se encontra um estado de espírito, um “estado de ser” completamente diferente. Não há mais possibilidade de corrupção, não há mais o tempo, e para essa mente, que pode ser chamada individual, ou outro nome qualquer, a Realidade surge na existência. Não se pode buscar a Realidade; se o fizerdes, ela se tornará vossa segurança e, portanto será totalmente falsa, sem nenhuma significação, como o vosso desejo de dinheiro, a vossa ambição e busca de preenchimento. A realidade tem de vir a vós e não poderá vir enquanto houver a corrupção pelo coletivo. Eis porque a mente deve achar-se completamente só, não influenciada, não contaminada e, portanto, livre do tempo, pois só então pode manifestar-se o imensurável, o atemporal.


Krishnamurti

terça-feira, 8 de junho de 2010

Planet Caravan




Nós velejamos,
Por céus infinitos
As estrelas brilham como os olhos
A noite escura suspira.

A lua,
Em árvores prateadas
Cai em lágrimas
A luz da noite.

A terra,
Uma chama púrpura
De uma neblina cor de safira
Sempre em órbita.

Enquanto descemos,
Dentre as árvores
Tomamos banho na brisa fresca
A luz prateada das estrelas rompe a noite.

E então,
Nós passamos perto,
Do olho vermelho
Do grande Deus Marte
Enquanto viajamos
Pelo universo...


Black Sabbath

sábado, 5 de junho de 2010

A lucidez perigosa




Estou sentindo uma clareza tão grande
que me anula como pessoa atual e comum:
é uma lucidez vazia, como explicar?
Assim como um cálculo matemático perfeito
do qual, no entanto, não se precise.

Estou por assim dizer
vendo claramente o vazio.
E nem entendo aquilo que entendo:
pois estou infinitamente maior que eu mesma,
e não me alcanço.

Além do que:
que faço dessa lucidez?
Sei também que esta minha lucidez
pode-se tornar o inferno humano
– já me aconteceu antes.

Pois sei que
em termos de nossa diária
e permanente acomodação
resignada à irrealidade –
essa clareza de realidade
é um risco.

Apagai, pois, minha flama, Deus,
porque ela não me serve para viver os dias.
Ajudai-me a de novo consistir
dos modos possíveis.
Eu consisto,
eu consisto,
amém.

Clarice Lispector

Criança

O olho claro é a coisa mais bonita em você.
Quem dera enchê-lo de patos e cores,
Zôo do novo,

Nomes em que você pensa –
Campânula-de-abril, Cachimbo-de-índio,
Pequenino

Caule sem espinhos,
Lago em cujas margens, imagens
Pudessem ser clássicas e imensas

Não esse tenso
Torcer de mãos, esse teto
Escuro e sem estrela.

Sylvia Plath

terça-feira, 1 de junho de 2010

8 Motivos para Não tomar a vacina da H1N1

A vacina H1N1 contém mercúrio - a segunda substância mais perigosa do planeta depois do urânio!

O veneno de uma cascavel é menos perigoso que o mercúrio!

O Mercúrio em outras vacinas está ligado à epidemia de autismo entre crianças!

. Ela contém esqualeno, uma substância que quando injetada no corpo pode fazer o sistema imunológico humano voltar-se contra si mesmo!

. Ela contém células de câncer de animal que pode provocar câncer nas pessoas!

. Até o governo federal não está confiante quanto à segurança da vacina H1N1, é por isso que foi dada às indústrias farmacêuticas imunidade contra ações judiciais.

Isto significa que se seu filho ou esposa ficar inválido ou morrer por causa da vacina H1N1, você não poderá processar a indústria farmacêutica que fez a vacina!!!

. A entrada no mercado da vacina foi acelerada, o que significa que todos os efeitos colaterais a médio e longo-prazo não são conhecidos!

. Em 1976 o instituto médico afirmou que havia uma situação crítica relativa à gripe suína, quando de fato somente 5 pessoas em todo o país adoeceram com ela.

A situação crítica foi uma fraude na época tal como é uma fraude agora.

As pessoas começaram a morrer ou ficarem inválidas após tomarem a vacina contra a gripe suína!

. As estatísticas e os fatos estão sendo manipulados para provocar pânico!

O número de pessoas que supostamente estão com o H1N1 são somente estimativas, não números reais.

Os testes usados para o H1N1 NÃO são aprovados pela FDA (Agência de Drogas e Alimentos dos EUA), e esses testes NÃO são confiáveis!

Os poucos que supostamente morreram por causa do H1N1 também estavam com pneumonia ou outras doenças, entretanto, o instituto médico quer que você acredite que o H1N1 foi a única causa dessas mortes.

domingo, 30 de maio de 2010

Ego

Se você não tiver nenhum ego,
não importa se alguém diz que você é
um idiota ou se alguém diz que você é um gênio.
Não importa… são opiniões dos outros.
Você sabe quem você é –
você não depende da opinião dos outros. Seu ego depende.
Seu ego o mantém um escravo da sociedade dentro da qual você vive.
Comumente as pessoas pensam que o ego é uma coisa preciosa.
Ele não é nada mais do que a escravidão delas.


Osho, em “The Great Pilgrimage”.

terça-feira, 25 de maio de 2010

Don't Need You





Não precisamos de você pra dizer que somos bonitinhas
Não precisamos de você pra dizer que somos legais
Não precisamos de sua porra de atitude garoto
Não precisamos de nenhum beijinho de boa noite

Nós não precisamos de você, não precisamos de você
Nós garotas não precisamos de vocês

Nós não precisamos de vocês pra dizer que somos boas
Não precisamos de vocês pra dizer que somos péssimas
Não precisamos de sua proteção
Não precisamos de seu pau pra foder!!

Nós não precisamos de você, não precisamos de você
Nós vacas nao precisamos de vocês

Te assusta não precisarmos de vocês?
Te assusta garoto, que a gente não precise de você?

Nós não precisamos de você, não precisamos
Nós garotas não precisamos de vocês!


Bikini Kill

domingo, 2 de maio de 2010

Sonho Lúcido




"Nesses sonhos lúcidos, a reintegração das funções psíquicas é tão completa que o sonhador se recorda do dia-a-dia e de sua própria condição, alcança um estado de perfeita consciência e é capaz de direcionar sua atenção e tentar diferentes atos de livre escolha. Ainda assim, posso afirmar com confiança, o sonho é imperturbado, profundo e revigorante. Tive meu primeiro vislumbre dessa lucidez no sono em junho de 1897, da seguinte forma: sonhei que flutuava através de uma paisagem com árvores desfolhadas, sabendo que era o mês de abril, e observei que a perspectiva dos ramos mudava de forma bem natural. Assim, refleti durante o sono que minha imaginação nunca seria capaz de inventar ou criar uma imagem tão intrincada como o movimento em perspectiva de pequenos ramos vistos ao flutuar. "

Frederik van Eeden, A Study of Dreams [Um Estudo dos Sonhos] (1913)



"Com a lucidez vem um sentimento assombroso e empolgante de liberdade -- o conhecimento de que se pode fazer qualquer coisa, livre dos limites de qualquer lei da física ou da sociedade. Um dos primeiros prazeres de muitos sonhadores lúcidos é o de voar, como um pássaro, livre das amarras da gravidade. A partir daí, as pessoas podem ir além, para descobrir o grande poder dos sonhos lúcidos de transformar suas vidas."

Stephen LaBerge, Ph.D., criador do movimento Nova Era dos sonhos lúcidos

sábado, 1 de maio de 2010

Homens Mortos Não Estupram



Você não tem o direito de dizer que eu estou tensa
E eu não sou obrigada a ceder porque você está frustrado
Não, minha vingança é a morte, porque você merece o melhor
E eu não estou ligada por sua masculinidade
Homens mortos não estupram
Eu não tenho piedade nem uma única lágrima
Para aqueles que se alegram com o medo de uma mulher
Eu prefiro ter uma arma e explodir você
Então você vai aprender em primeira mão
Homens mortos não estupram

Você está sendo sugada para as doenças da sociedade
Não saia sozinha você pode ser estuprada
Mas não por um homen morto porque...
Homens mortos não estupram

Você não tem o direito de dizer que eu estou tensa
Homens mortos não estupram


7 Year Bitch

sábado, 17 de abril de 2010

Canção

Quero um dia para chorar.
Mas a vida vai tão depressa!
- e é preciso deixar contida
a tristeza, para que a vida,
que acaba quando mal começa,
tenha tempo, de se acabar.
Não quero amor, não quero amar…
Não quero nenhuma promessa
nem mesmo para ser cumprida.
Não quero a esperança partida,
nem nada de quanto regressa.
Quero um dia para chorar.
Quero um dia para chorar.
Dia de desprender-me dessa
aventura mal entendida.
sobre os espelhos sem saída
em que jaz minha face impressa.
Chorar sem protesto. Chorar.


Cecília Meireles

Louco

Não, não é louco. O espírito somente
É que quebrou-lhe um elo da matéria.
Pensa melhor que vós, pensa mais livre,
Aproxima-se mais à essência etérea.

Achou pequeno o cérebro que o tinha:
Suas idéias não cabiam nele;
Seu corpo é que lutou contra sua alma,
E nessa luta foi vencido aquele.

[...]


Junqueira Freire

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Preparação para a morte

A vida é um milagre
Cada flor,
com sua forma, sua cor, seu aroma,
cada flor é um milagre.
Cada pássaro,
com sua plumagem, seu vôo, seu canto,
cada pássaro é um milagre.
O espaço, infinito,
o espaço é um milagre.
O tempo, infinito,
o tempo é um milagre.
A memória é um milagre.
A consciência é um milagre.
Tudo é milagre.
Tudo, menos a morte.
— Bendita a morte, que é o fim de todos os milagres.


Manuel Bandeira

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Soneto de Fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.


Vinicius de Moraes

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Poética




"Quero antes o lirismo dos loucos
O lirismo dos bêbedos
O lirismo difícil e pungente dos bêbedos
O lirismo dos clowns de Shakespeare

- Não quero mais saber do lirismo que não é libertação."


Manuel Bandeira

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Ismália





Quando Ismália enlouqueceu,

Pôs-se na torre a sonhar...

Viu uma lua no céu,

Viu outra lua no mar.


No sonho em que se perdeu,

Banhou-se toda em luar...
Queria subir ao céu,

Queria descer ao mar...


E, no desvario seu,
Na torre pôs-se a cantar...

Estava longe do céu...

Estava longe do mar...


E como um anjo pendeu

As asas para voar. . .

Queria a lua do céu,

Queria a lua do mar...


As asas que Deus lhe deu

Ruflaram de par em par...

Sua alma, subiu ao céu,

Seu corpo desceu ao mar...


Alphonsus Guimaraens

terça-feira, 6 de abril de 2010

Bilhete




Se tu me amas, ama-me baixinho

Não o grites de cima dos telhados
Deixa em paz os passarinhos
Deixa em paz a mim!
Se me queres,
enfim, tem de ser bem devagarinho, Amada,
que a vida é breve, e o amor mais breve ainda...


Mário Quintana

O auto - retrato



No retrato que me faço
- traço a traço -
às vezes me pinto nuvem,
às vezes me pinto árvore...
às vezes me pinto coisas
de que nem há mais lembrança...
ou coisas que não existem
mas que um dia existirão... e,
desta lida, em que busco
- pouco a pouco -
minha eterna semelhança,
no final, que restará?
Um desenho de criança...
Corrigido por um louco!

Mário Quintana

domingo, 4 de abril de 2010

Lisergia!



" Agitação excepcional acompanhada por uma ligeira tontura, uma espécie de embriaguez não desagradável, caracterizada por uma atividade extrema da imaginação. Enquanto estava num estado de obscuridade com os meus olhos fechados, senti a luz do dia como sendo extremamente brilhante. Um fluxo ininterrupto de imagens fantásticas dotadas de uma plasticidade e vivacidade excepcional, acompanhada por um jogo caleidoscópio de cores."


Albert Hofmann


terça-feira, 23 de março de 2010

Corra Lola, corra!




"Eu não acredito no pânico

Eu não acredito no medo
Eu não acredito em profecias
Então não desperdiço nenhuma lágrima"

quinta-feira, 18 de março de 2010

Transcendência



"[...]Para todas essas buscas poderíamos nos perguntar 'para quê'? Todas elas desembocarão em última instância na plenitude e nenhuma delas se justifica por si mesma. Somente a plenitude é auto-justificável. Quero ser pleno porque quero ser pleno. Aliás, sou pleno simplesmente. Melhor ainda, sou.

[...]Transcendência é desejo e movimento. Se não sei o que quero, se sinto somente a insatisfação no peito, se o desejo ainda é inconsciente, ainda assim é transcendente. Se estou em movimento atrás de algo que não sei o que é, ainda assim o movimento é transcendente.

O humano é o único ser que quer ser diferente do que é. Em realidade isso é impossível. A transcendência é uma ilusão. Não podemos modificar nossa natureza. Um pote de barro pode modificar a sua forma de pote, mas jamais conseguirá ser outra coisa que não barro. Uma onda no oceano pode querer ser maior ou menor, mas nunca deixará de ser oceano.

Em realidade somos transcendentes quando aceitamos que Oceano é a nossa natureza. Nada menos que o vasto e infinito Oceano. "


http://www.universodeluz.net/modules.php?name=News&file=article&sid=245

sábado, 13 de março de 2010

O prazer e a Dor

"Quanto a Sócrates, sentara-se no leito e, tendo
encolhido a perna,esfregava-a fortemente com a
mão. E enquanto a esfregava dizia-nos: "Como
parece aparentemente desconcertante, amigos, isso que
os homens chamam de prazer! Que maravilhosa relação
existe entre a sua natureza e o que se julga ser o seu
contrário, a dor! Tanto um como a outra recusam ser
simultâneos no homem; mas procure-se um deles -
tenhamos preso um deles - e estaremos sujeitos quase
sempre a encontrar 5 também o outro, como se fossem
uma só cabeça ligada a um corpo duplo! Parece-me,
mesmo, que Esopo, se nisso tivesse pensado, teria
composto uma fábula a esse respeito: a Divindade,
desejosa de lhes pôr fim aos conflitos, como visse
frustrado o seu intento, amarrou juntas as duas cabeças;
e é por isso que, onde se apresenta um deles, o outro
vem logo. É, assim, que se lhe afiguram as coisas:
devido ao grilhão, há pouco sentia dor na minha perna, e
já agora sinto prazer! [...]"

Platão